Brasileiro ilustra novas histórias da trilogia ‘De Volta para o Futuro’ em HQ

Uma das trilogias cinematográficas de maior sucesso da história ganhou prólogos e epílogos –pelo menos nos quadrinhos.

“De Volta para o Futuro” (1985), dirigido por Robert Zameckis, teve duas sequencias no cinema. Mas as continuações de 1989 e 1990 parecem não esgotar as possibilidades que o roteiro baseado em viagens no tempo oferece.

Na compilação com nove histórias “De Volta para o Futuro – Aventuras Nunca Vistas e Linhas do Tempo Alternativas” (editora Geektopia), que chegou ao Brasil no fim do ano passado, o leitor irá ver como os personagens se conheceram, como viveram depois do fim do terceiro filme e ainda algumas linhas do tempo alternativas.

O projeto já rendeu 25 histórias publicadas originalmente em inglês pela IDW, editora americana especializada em HQ’s, e tem como ilustrador principal o brasileiro Marcelo Ferreira, 39, responsável por dar vida a mais de 15 dessas histórias.

“Sempre fui fã da trilogia. Sou da geração que viu esses filmes passarem pela primeira vez na TV; só o primeiro filme eu já vi mais de 12 vezes”, diz Ferreira, que fez o trabalho a convite de um dos editores da IDW.

O roteirista Bob Gale, que escreveu as histórias dos filmes com Zameckis, encabeça o projeto dos quadrinhos.

“Os fãs já perguntaram se essas histórias são oficiais. Bem, quando você tem uma máquina do tempo e uma premissa que diz que linhas temporais podem ser alteradas, você tem possibilidades infinitas que podem existir em uma realidade ou outra –e todas elas podem ser apagadas. Dados esses parâmetros, tudo é oficial, ao menos temporariamente”, diz Gale na introdução do volume.

Para Ferreira, é exatamente a participação do roteirista no projeto que o torna oficial para os fãs. “Tudo passa pela aprovação dele”, conta.

Grande parte das histórias do primeiro volume em português fala do que acontece com o cientista Emmett Brown, o Doc Brown. No último filme da série, ele decide viver no ano de 1885, quando (ou onde?) se casa com Clara e tem dois filhos. Great Scott!

Em “A História de Clara”, por exemplo, vemos como foi a infância da esposa de Doc e como ela se torna uma apaixonada por ciência ao ler os livros de Júlio Verne –desenvolvimento que seria impossível nos filmes.

Embora a fonte da letra da edição seja pequena demais, podendo causar algum desconforto durante a leitura, a HQ faz aquilo que os fãs esperam: não reinventa a trama nem os personagens originais, apenas os traz de volta e revive uma história que tem superado o tempo e atravessado gerações.

 

Fonte: Folha de São Paulo