Camaçari: Encontro entre Cerest e representantes de sindicatos discute saúde do trabalhador

Na quarta-feira (31), aconteceu no auditório do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST) um encontro com representantes de sindicatos para discutir o atual quadro da saúde do trabalhador na Bahia e especialmente em Camaçari. Participaram da reunião, representantes do Sindmetropolitano, Sindban, Sindcelpa, Sintac, Sindferro, Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Sindborracha.

Dados do Cerest revelam que, dos 250 trabalhadores com prontuário aberto no órgão para investigação de doenças ou acidentes relacionados ao trabalho, no ano de 2018, 49 foram encaminhados pelos sindicatos, o que corresponde a 20% dos trabalhadores durante o período.

Os sindicatos também são responsáveis por informar ao Cerest sobre a ocorrência de acidentes de trabalho graves e com óbito, para que aconteça a investigação do acidente e consequente relatório com recomendações de medidas de prevenção. Assim como solicitam ao CEREST inspeção em ambientes e processos de trabalho.

Coordenadora do CEREST, Luzineide Pereira explica: “estreitar essa relação e informar sobre as ações desenvolvidas pelo Cerest é fundamental para darmos visibilidade às principais causas de adoecimento e morte relacionadas ao trabalho, que possibilitam a realização de ações de prevenção e promoção à saúde dos trabalhadores”.

À medida que os sindicatos conhecem o trabalho do CEREST e estabelecem parcerias, eles divulgam as ações aos trabalhadores e realizam encaminhamentos ao Cerest para que aconteçam as investigações de doenças e acidentes relacionados ao trabalho.

No Cerest, os trabalhadores recebem orientações gerais quanto à saúde do trabalhador, orientações previdenciárias básicas e sugestões de prevenção desses agravos. Os sindicatos contribuem também com o fornecimento de Comunicação de Acidente de Trabalho – CAT emitidas, para que o Cerest analise e registre no sistema de saúde SINAN os casos de notificação compulsória.

Fonte: Assessoria de Comunicação – Prefeitura de Camaçari – Foto: Divulgação