Combate ao novo coronavírus exige medidas restritivas em todos os municípios da macrorregião de Alagoinhas, afirma prefeito Joaquim Neto

Em contato com o editor dos sites Alagoinhas Hoje e Bahia Hoje News na noite desta sexta-feira (26), antes da live que marcou a entrega de obras em Alagoinhas Velha, o prefeito Joaquim Neto afirmou que as medidas restritivas serão amplas e poderão incluir municípios da macrorregião.

Segundo Joaquim Neto (PSD), estudos da Secretaria Estadual da Saúde (SESAB) indicam que o perfil epidemiológico dos  municípios da macrorregião registrou acentuadas modificações nos últimos dias. “Se medidas restritivas não forem tomadas, incluindo o lockdown, a curva de contágio crescerá muito”, pontuou o gestor. 

O prefeito disse que conversou com o deputado federal Joseildo Ramos (PT) e técnicos da Secretaria Estadual  da Saúde (SESAB) sobre as ações necessárias para combater o novo coronavírus na macrorregião. “Não é uma decisão fácil, pois envolve prefeitos e prefeitas de 33 cidades, mas a ideia é definir estratégias conjuntas com gestores de municípios que compõem o Núcleo Regional de Saúde Nordeste “, salientou. 

A complexidade da estratégia, de acordo com o prefeito de Alagoinhas, exigirá a participação efetiva de órgãos do governo do estado e de 33 prefeituras  vinculadas ao Núcleo Regional de Saúde Nordeste (antiga DIRES). 

Em reunião agendada inicialmente para amanhã (27), em Alagoinhas, entre o coordenador do Núcleo Regional de Saúde Nordeste, Rogério Ribeiro Ramos, o prefeito Joaquim Neto, os secretários Gustavo Carmo (Governo) e Maria Rosânia Rabelo (Saúde) e técnicos da área de saúde serão definidas as estratégias para o município. “Diante do quadro atual, nossa intenção é determinar o começo do lockdown na segunda (29) ou terça-feira (30), com duração prevista de sete dias”, informou o chefe do Executivo alagoinhense. 

“O lockdown é uma medida extrema para conter a propagação do novo coronavírus”, afirmou o prefeito, acrescentando “que a proximidade entre cidades da macrorregião e a ligação viária determinam a necessidade de medidas conjuntas que sejam capazes de conter a curva ascendente de contágio, não apenas em Alagoinhas, mas em todos os municípios”. 

Joaquim Neto admitiu que não é uma estratégia simples, pois envolve situações específicas de cada município, mas salientou que é necessária para diminuir a propagação do novo coronavírus e preservar vidas.

NRS

Alagoinhas, Acajutiba, Adustina, Aramari, Aporá, Antas, Araçás, Banzaê, Cardeal da Silva, Catu, Crisópolis, Entre Rios, Esplanada, Inhambupe, Itanagra, Itapicuru, Jandaíra, Ouriçangas, Pedrão, Rio Real, Sátiro Dias, Cícero Dantas, Cipó, Coronel João Sá, Fátima, Heliópolis, Nova Soure, Novo Triunfo, Olindina, Paripiranga, Ribeira do Amparo, Ribeira do Pombal e Sítio do Quinto são os municípios que compõem o Núcleo Regional de Saúde Nordeste (NRS), com sede em Alagoinhas. 

O que é lockdown?

Ultimamente, um termo da língua inglesa, lockdown, tem se tornado comum no noticiário e em conversas devido ao avanço da pandemia do novo coronavírus. Mas o que muitas pessoas podem não saber é seu significado e como funciona.

A palavra lockdown pode ser traduzida como “confinamento” e nomeia o isolamento total entre as pessoas.

Esse confinamento que algumas cidades do país já adotaram tem regras muito mais duras do que o isolamento social.

O lockdown é uma medida extrema de bloqueio total que, em geral, inclui também o fechamento de vias e proíbe deslocamentos e viagens não essenciais.

Qual a diferença para o isolamento social?

O isolamento social é mais brando e apenas uma sugestão para que as pessoas evitem sair de casa. Já a quarentena seria um meio-termo, pois é uma determinação oficial de isolamento decretada por um governo, mas não tão restritiva quanto o lockdown.

O que fica aberto?

No lockdown, as atividades essenciais continuam a funcionar, porém com um controle mais rígido do governo. É permitido sair para comprar alimentos, fazer o transporte de doentes ou realização de serviços de segurança, mas, no mais, a circulação fica proibida.

Fonte: O Tempo

Foto Joaquim Neto: Alagoinhas Hoje