Esposa de Carlos Ghosn reclama de tratamento da Justiça japonesa ao marido

A esposa do ex-presidente da Nissan, o brasileiro Carlos Ghosn, enviou uma queixa à ONG Human Rights Watch pelo tratamento que seu marido recebe da Justiça japonesa, que ela classificou como “sistema de reféns”.  A informação é do portal G1.

Ghosn está preso desde novembro do ano passado, sob a acusação de violar as leis financeiras japonesas, usar de forma indevida bens da Nissan e repassar dívidas pessoais à fabricante de veículos.

De acordo com o site, a carta foi enviada por Carole Ghosn no final de dezembro, com a intenção de expor as práticas abusivas que, em sua opinião, são permitidas pelo sistema judicial japonês, segundo confirmou hoje seu porta-voz à agência de notícias “Kyodo”.

“Sob o “sistema de reféns” judicial japonês, as detenções prolongadas para extrair confissões são uma das principais táticas de investigação da promotoria”, afirma a carta.

O texto acrescenta que no Japão os suspeitos de cometer algum crime são “interrogados repetidamente sem a presença dos seus advogados, contam com um limitado acesso à assessoria legal e não têm direito a solicitar liberdade.

 

Fonte: bahia.ba