Estudo aponta ‘assédio moral e terror psicológico’ na Polícia Federal

O Sindipol-DF (Sindicato dos Policiais Federais no Distrito Federal) reencaminhou um relatório alarmante à diretoria-geral da PF. Segundo pesquisa feita por psicólogas da Unb (Universidade de Brasília), 83% dos agentes entrevistados se sentem desvalorizados no trabalho, 74% se sentem indignados, 39%, inúteis, 46% têm “emoções de raiva” e 18%, de “medo”.

O trabalho mostra que “alguns sujeitos verbalizaram o desejo de ‘matar delegados’”. E conclui: “Todos os dados apontam para a existência de assédio moral e terror psicológico” na instituição.

O relatório ficou pronto há três anos. Foi encaminhado pela primeira vez às autoridades e permaneceu em sigilo até agora. De acordo com Flávio Werneck, presidente do Sindipol-DF, a entidade decidiu voltar à carga e levantar o sigilo porque a situação não se resolveu.

“As próprias psicólogas nos orientaram a divulgar os dados, para evitar uma tragédia”, diz. Segundo Werneck, as profissionais chegam a atender 30 policiais por semana.

Questionada, a Polícia Federal não se manifestou até o fechamento desta edição.

 

Fonte: Folha de São Paulo