Núcleo político de Bolsonaro reclama de tese que esvazia Casa Civil

A proposta de entregar parte das atribuições da Casa Civil ao vice-presidente, general Hamilton Mourão, não foi bem digerida pelo núcleo político do grupo de Jair Bolsonaro (PSL). Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que vai assumir a pasta em 2019, não teria gostado da ideia de dividir poderes, ainda sob a tese de que, com isso, ele teria espaço para se dedicar apenas à articulação política –a chaga aberta do próximo governo. A insatisfação do democrata foi notada nos gabinetes da transição.

Onyx indicou que quer escalar o ex-deputado Abelardo Lupion (DEM) à subchefia da Casa Civil para auxiliá-lo no trato com o Legislativo. O nome, porém, é visto com desconfiança pela ala dos militares. Lupion foi citado em delações da Odebrecht.

O desenho que desencadeou a insatisfação do futuro chefe da Casa Civil é o que prevê Mourão à frente do gerenciamento de projetos, enquanto Onyx ficaria encarregado apenas das relações com o Congresso.

 

Fonte: Folha de São Paulo