Oito anos após Lula ‘extirpar’ DEM, partido tenta retomada

Depois de o ex-presidente Lula dizer que precisava “extirpar” o DEM da política brasileira, em 2010, o partido ressurge fortalecido em uma campanha com oito candidatos a governos estaduais. O número é comemorado como retomada da legenda, que saiu desidratada do pleito em 2010.

Os demistas encabeçam chapa na Bahia, Rio de Janeiro, Goiás, Mato Grosso, Amapá, Pará, Distrito Federal e Sergipe. Este ano, a grande aposta é conquistar um governo na Região Sudeste pela primeira vez, com Eduardo Paes no Rio, impulsionado por Rodrigo Maia.

 Em 2014, o DEM teve apenas duas candidaturas estaduais e, pela primeira vez na história do partido, não elegeu nenhum governador.

O melhor desempenho foi na época em que ainda se chamava PFL. Em 1990, elegeu nove dos 11, entre eles, Antônio Carlos Magalhães (BA), José Agripino (RN) e Edison Lobão (MA). A Bahia é o único Estado onde o partido teve candidaturas em todas as eleições.

Aliás, para conseguir redesenhar o cenário eleitoral da Bahia depois de o PSC descumprir o acordo de coligar-se com o DEM, ACM Neto precisou lançar 30 candidatos a deputados federais. Tudo para conseguir fazer uma bancada de cinco eleitos.

Fonte: Coluna Estadão