Operação de busca e apreensão fragiliza candidatura de Paulo Cezar

A operação de busca e apreensão realizada na manhã desta terça-feira (10) no escritório politico do DEM fragiliza a candidatura de Paulo Cezar.

Realizada pela Justiça Eleitoral, com apoio da Polícia Militar, a operação contou com a concordância do Ministério Público Eleitoral. 

Certamente o 10 de novembro  de 2020 será lembrado como o pior dia da carreira política do ex-prefeito de Alagoinhas. 

Notas anódinas da assessoria de comunicação da campanha não resolverão o grande imbróglio no qual está envolvido o demista. 

Uma fonte informou que foram encontradas no escritório certa quantia em dinheiro e planilhas com dezenas de nomes e os respectivos valores, que deveriam ser entregues na reta final da campanha, aos destinatários dos recursos. 

É preciso saber se as “despesas” seriam contabilizadas como gastos legais da campanha. 

Além dos crimes eleitorais praticados por Paulo Cezar e Marcelo (Cigano) Muller, contidos no vídeo veiculado no início da tarde desta terça-feira pelo site Alagoinhas Hoje, a coligação vai enfrentar uma enxurrada de ações na justiça por conta da operação de busca e apreensão.

Sistema

O sistema interno do site Alagoinhas Hoje está instável desde o início da tarde.

Várias pessoas reportaram dificuldades para acessar matérias, principalmente após a publicação da denúncia (com vídeo) que registrou os crimes eleitorais praticados por Paulo Cezar e Marcelo Cigano.