Pessoas com deficiência veem risco de exclusão no mercado de trabalho

Foi lançada na quinta (28) uma petição online contra a mudança na lei de cotas para pessoas com deficiência que o governo enviou ao Congresso na semana passada. Com mais de 10 mil assinaturas, o texto diz que a medida dificulta ainda mais o acesso ao mercado de trabalho. Também está previsto protesto em São Paulo nesta tarde.

A principal crítica é permitir que empresas paguem dois salários mínimos a um fundo de reabilitação a cada vaga não preenchida. Profissionais articulam protesto em SP nesta terça (3).

As empresas vão pagar em vez de abrir vagas. Hoje, sabemos que contratam por força da lei. Se não fossem as cotas, provavelmente nós [pessoas com deficiência] não trabalharíamos”, diz a publicitária Luana Sanches, que lidera a iniciativa online.

O Ministério da Economia diz que as mudanças são necessárias para que a lei seja de fato cumprida. Afirma que a tramitação do projeto no Congresso propicia seu debate.