Prefeitura de Catu está abaixo da média nacional em transparência e ocupa o 32º lugar na Bahia

A transparência (ou a falta dela) da Prefeitura de Catu foi constatada pela Controladoria Geral da União (CGU), que avaliou as gestões de municípios com mais de 50 mil habitantes, totalizando 665 em todo o país.

A Prefeitura de Catu está bem abaixo da média nacional (6,5), tendo registrado na pesquisa realizada em 2018 e atualizada no ano passado o índice de 4,19. 

Na Bahia, em termos comparativos, as administrações das primeiras oito cidades – Vitória da Conquista (9,80), Itabuna (9,33), Porto Seguro (9,00), Guanambi (8,94), Paulo Afonso (8,91), Jequié (8,82), Salvador (8,79) e Alagoinhas (8,67) – alcançaram mais do que o dobro do índice da Prefeitura de Catu. 

As comparações indicam que a administração do prefeito Geranilson Requião não avançou no quesito transparência e que a estrutura interna voltada para a prestação de contas aos cidadãos catuenses começou capenga e continuará no mesmo passo até 31 de dezembro. 

Reportagem especial do jornal A Tarde deste domingo (12) publica os índices de transparência de 43 municípios baianos e a Prefeitura de Catu ocupa o 32º lugar.