Vendas nos setores ligados ao Dia das Crianças devem crescer 5% em outubro, prevê Fecomércio-BA

Segundo projeções da Fecomércio-BA relativas ao comércio baiano, as vendas nos setores mais sensíveis às compras para o Dia das Crianças devem crescer 5% em outubro na comparação com o mesmo período do ano passado. Os cálculos foram feitos com base nas informações da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista (PCCV) da Bahia, da Fecomércio-BA, em parceria com a SDE – Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Bahia e Sefaz – Secretaria da Fazenda do Estado.

O destaque deve ser o setor de Vestuário, Tecidos e Calçados com aumento nas vendas de 18% no contraponto anual. Esse setor de bens não duráveis sempre é destaque nas datas comemorativas do varejo ao longo do ano. São produtos com preços mais acessíveis e, normalmente, não há a necessidade de contrair crédito para efetuar a compra.

Na sequência estão as lojas de Eletrodomésticos e Eletrônicos com alta anual estimada de 10%. Os pais tendem a comprar celulares, tablets e jogos eletrônicos -itens que foram beneficiados com a redução de impostos que já se reflete no preço praticado no varejo.

O grupo denominado Outras Atividades tende a cair 9% na comparação anual. Foi mantido esse grupo na projeção, pois os setores de brinquedos e materiais esportivos estão contidos nele. No entanto, as vendas de combustível para veículos, por exemplo, também podem acabar influenciando o resultado geral.

“Muito embora as variações projetadas sejam expressivas, é importante ponderar que o atual faturamento das atividades ainda está bem abaixo do visto nos anos pré-crise, ou seja, ainda há um longo caminho para recuperar as perdas da maior recessão da economia brasileira”, explica o consultor econômico da Fecomércio-BA, Guilherme Dietze.

SEM VAGAS TEMPORÁRIAS 

“Sobre a questão de geração de emprego, não há sinais, por enquanto, de que haverá contratações específicas para a data. Não é uma sazonalidade significativa como o Natal e Dia das Mães”, esclarece Dietze, apontando que “o Dia das Crianças tem uma relevância menor para o varejo e para setores específicos”.

Outro ponto a salientar é que por mais que os dados não sejam especificamente para o Dia das Crianças, e sim para o mês de outubro, os números mostram uma tendência importante de que há um ritmo maior de consumo.

“A liberação dos recursos do FGTS e PIS/PASEP pode ser um influenciador de resultados positivos no varejo no segundo semestre. O índice de Intenção de Consumo de Salvador, da Fecomércio-BA, também já dá sinais de recuperação no mês de agosto e pode ser que a tendência se mantenha ao longo do segundo semestre, favorecendo as vendas para o Dia das Crianças”, conclui o economista.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação – Fecomércio-BA